Assim Saúde quer investir em pequenas e médias empresas

Saúde Web - 03/02/2012

Investir em pequenas e médias empresas que nunca tiveram plano de saúde para seus funcionários é a estratégia da Assim Saúde para crescer. A administradora, oitava colocada no ranking nacional de empresas de medicina de grupo da Agência Nacional de Saúde (ANS), vem conquistando no Rio prestadoras de serviço da Petrobras, da área naval, além de redes de supermercado. A empresa conseguiu aumentar o faturamento de R$ 360 milhões em 2010 para R$ 415 milhões no ano passado, um crescimento de 15,2%. As informações são do jornal Valor Econômico

A Assim foi criada por 16 hospitais do Rio há 23 anos. Por 20 anos, o público alvo foi a classe C.

Desde 2009, o foco passou às pequenas e médias empresas da Região Metropolitana do Rio, além das concorrências públicas. A estratégia se intensificou em 2011, quando foi adquirida pelo Grupo Memorial, que pagou R$ 100 milhões por 55% do capital).

De acordo com o superintendente geral da Assim, Cesar Miranda, a empresa tem várias empresas de médio porte no Rio de Janeiro, como metalúrgicas, prestadoras de serviço da Petrobrás e até redes de supermercado, que não tem plano de saúde

Em 2010, a empresa conquistou contratos com o supermercado Mundial e o estaleiro Eisa. Os contratos de pessoas jurídicas agora representam 60% da carteira e o objetivo é crescer mais. No fim do ano passado, a administradora tinha 270 mil usuários e espera chegar a 500 mil no fim de 2013.

Além disso, de acordo com a publicação, a Assim está de olho nas concorrências públicas. No ano passado, fechou contrato com a Comlurb, a Riotur e a Multi-Rio, todas da Prefeitura do Rio.

Miranda conta que a Assim está investindo no escritório de Niterói, principalmente por conta das novas empresas que vão se instalar nesta região graças ao Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj).

A expansão rápida traz seus problemas. Hoje, a sinistralidade está em 80%. É comum que novos usuários de planos que nunca tiveram um contrato privado utilizem muito os serviços de saúde no início. Miranda afirma que este risco também é previsto.