Cresce o número de falências de operadoras de planos de saúde

SaúdeWeb - 12/12/2011

Em 2001, quatro operadoras de planos de saúde fecharam as portas de acordo com a ANS. Em 2011, só até novembro, já foram 78 operadoras extintas

Dados da ANS mostram quem o número de reclamações em todo o Brasil devido à falência de convênios médicos aumentou consideravelmente nos últimos dez anos. Em 2001, quatro operadoras de planos de saúde fecharam as portas de acordo com a Agência. Em 2011, só até novembro, já foram 78 operadoras extintas. As informações são do portal G1.

A ANS faz uma intervenção fiscal no convênio médico sempre que ele deixa de oferecer garantias de assistência à saúde do paciente. Quando a situação é irreversível, a agência extingue o convênio e cassa a autorização de funcionamento.

Nesses casos, o consumidor tem direito a portabilidade especial. Que nada mais é do que a chance de trocar de plano de saúde sem ter que cumprir um novo período de carência. O pedido tem que ser feito pela internet. “A ANS vai fazer. Para que ele efetivamente faça a portabilidade”, explicou a diretora do Procon de Campinas (SP) Viviane Carvalho de Moura.

Como nem sempre as coberturas dos planos são iguais, não há garantia nenhuma de que a pessoa vai pagar a mesma mensalidade no novo convênio. Essa é a queixa do aposentado Mário Benedito Campagnone. “Isso é enorme, não tenho condições de pagar, R$ 400, R$ 450, não tenho condições de pagar isso”, contou.