Planos de Saúde crescem em 2013 impulsionados por terceira idade, indica IESS

Saúde Em Pauta - 28/03/2014

– A faixa etária com maior crescimento de beneficiários de planos de saúde médico-hospitalares em 2013 foi a de 59 anos ou mais. O total de beneficiários nessa faixa cresceu 5,1% na comparação anual, praticamente no mesmo patamar da faixa de 19 a 58 anos, que teve alta de 5% no período.

Em contrapartida, o número de jovens (0 a 18 anos) com plano de saúde cresceu 3,4%. Os dados constam do boletim “Saúde Suplementar em Números”, produzido pelo Instituto de Estudos deSaúde Suplementar (IESS) com as informações que acabam de ser atualizadas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Os beneficiários idosos chegaram a 6,1 milhões em 2013, equivalendo a 12,1% do total de vínculos do País. O avanço dessa faixa etária também foi expressivo no segmento de planos exclusivamente odontológicos, ao totalizar 1 milhão de vínculos, alta de 10,4% em relação ao acumulado de 2012.

Luiz Augusto Carneiro, superintendente-executivo do IESS, destaca que o crescimento de beneficiários com 59 anos ou mais, especialmente nos planos médico-hospitalares, pode decorrer por conta de mudança da faixa etária de beneficiários que já possuíam contratos e também por novos ingressos. “Esses resultados mostram claramente a mudança demográfica que vem acontecendo no País e, mais acentuadamente, entre os beneficiários de planos de saúde, que têm por característica serem mais idosos do que a média da população brasileira.”

Carneiro também alerta para a questão da sustentabilidade do modelo vigente: “Com a transição demográfica, o crescimento do número de jovens na população é menor, o que também faz o crescimento desse grupo etário ter um ritmo menor entre os beneficiários de planos de saúde. Essas tendências podem ser um alerta para a forma de financiamento dos planos de saúde no Brasil, pois, com o crescimento do número de idosos em um ritmo superior ao de jovens, o pacto intergeracional pode não se manter sustentável”, analisa.

Os planos individuais também registraram crescimento: 0,5% no último trimestre de 2013 em relação ao trimestre anterior; e 1,6% no ano, alcançando 9,9 milhões de vínculos. “É muito importante observar que os planos individuais continuam registrando crescimento, a despeito de toda a discussão que se vê hoje sobre o acesso a esses produtos”, analisa Carneiro.

Em 2013, o mercado de planos de saúde se expandiu 4,6% em relação ao ano anterior, chegando a marca de 50,3 milhões de beneficiários. O crescimento foi impulsionado, principalmente, pelos planos coletivos empresariais, que registraram avanço de 1,6% no último trimestre de 2013, e de 6,7% em 12 meses. O segmento já responde por 33 milhões dos beneficiários no País.

Na visão de Carneiro, uma das hipóteses a justificar esse comportamento é que as pequenas e médias empresas (PMEs) têm aumentado as contratações de planos empresariais. "Esse é um nicho que tem evoluído fortemente nos últimos anos e as operadoras passaram a oferecer produtos direcionados às PMEs", observa. “Além disso, apesar do relativamente baixo crescimento da economia brasileira, o mercado de trabalho tem se mantido estável e isso influencia a contratação de planos”, acrescenta.


Planos odontológicos

Os planos exclusivamente odontológicos registraram crescimento de 2,9% no último trimestre de 2013 e alta de 8,2% no ano. Chegando, assim, a 20,7 milhões de beneficiários. Carneiro avalia que este é um segmento com grande potencial e que deve manter o ritmo de crescimento em 2014.