A arrancada dos planos odontológicos 

Fenasaúde - 23/09/2013

A arrancada na venda dos planos odontológicos, praticamente inexistentes há dez anos, é o tema tratado na coluna da FenaSaúde publicado nesta quinta-feira no Jornal Correio Braziliense.

A matéria mostra que cada vez mais brasileiros contam com os serviços de um plano de saúde exclusivamente odontológico, um benefício real incorporado aos hábitos de vida. A compra de um plano odontológico é o meio mais econômico e fácil de ter acesso à saúde bucal de qualidade desde a infância. Praticamente inexistentes há dez anos, os planos exclusivamente odontológicos hoje beneficiam cerca de 18,6 milhões de pessoas em todo o País.

Entre 2008 e 2012, o número de beneficiários neste tipo de plano aumentou 73,7%. Só no ano passado, foram 781 mil novos clientes na região Sudeste e 558 mil no Nordeste. 

Planos Odontológicos: foco na prevenção

Cada vez mais brasileiros contam com os serviços de um plano de saúde exclusivamente odontológico, um benefício real incorporado aos hábitos de vida. A compra de um plano odontológico é o meio mais econômico e fácil de ter acesso à saúde bucal de qualidade desde a infância. Quem contrata este tipo de serviço, está adquirindo um benefício para uso contínuo e preventivo, e não apenas para resolver um problema imediato, como o tratamento de uma cárie. É uma assistência permanente para hoje, amanhã e depois.

 

CRESCIMENTO

Praticamente inexistentes há dez anos, os planos exclusivamente odontológicos hoje beneficiam cerca de 18,6 milhões de pessoas em todo o país. Entre 2008 e 2012, o número de beneficiários neste tipo de plano aumentou 73,7%. Só no ano passado, foram 781 mil novos clientes na região Sudeste e 558 mil no Nordeste.

 

COBERTURAS

A cobertura abrange desde a consulta inicial com o dentista, a exames e até cirurgias, incluindo atendimentos de urgência e emergência. Assim como nos planos médicos, existem carências para determinados procedimentos, tais como 24 horas para atendimentos de urgência e emergência e 180 dias para radiografias e extrações, entre tantos outros tratamentos.

 

COBERTURAS ADICIONAIS

A colocação de aparelhos ortodônticos, próteses, órteses, coroas e implantes, entre outros procedimentos desta natureza, não são coberturas obrigatórias determinadas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar, a ANS. Entretanto, estes serviços podem costumam ser oferecidos em contrato pelas operadoras. Cabe ao consumidor identificar qual a abrangência mais adequada ao seu perfil.

 

NO HOSPITAL

Procedimentos odontológicos que precisem ser realizados em ambiente hospitalar só poderão ocorrer caso o beneficiário também possua um plano médico com este tipo de cobertura prevista em contrato. O atendimento pode ser feito por duas operadoras diferentes, uma cobrirá o tratamento dentário e, a outra, a internação do paciente. A necessidade de uso do ambiente hospitalar deverá ser atestada pelo dentista que solicita o procedimento.