Gastos de operadoras de planos de saúde devem ultrapassar R$ 80 bilhões em 2030

INFOMONEY - 27/11/2012 - Gladys Ferraz Magalhães

Os gastos do setor de saúde suplementar no País devem ultrapassar R$ 80 bilhões em 2030, segundo estimativas do IESS (Instituto de Estudos de Saúde Suplementar).

De acordo com levantamento, o montante é 35% maior do que o apurado em 2010, quando as despesas das operadoras foram de aproximadamente R$ 59,2 bilhões.

Considerando um cenário mais otimista, o Instituto acredita que os gastos das operadoras atinjam, em 2050, R$ 104,7 bilhões; já em um cenário de maior risco, o valor saltaria para algo em torno de R$ 117,5 bilhões.

Idosos

Ainda segundo avaliação do IESS, o crescimento das despesas das operadoras de planos de saúde deve-se ao aumento da população idosa, que, há dois anos, representava 11% da população, número que deve passar para 19%, o equivalente a 40,5 milhões de brasileiros, em 2030.

O Instituto aponta que esta parcela dos brasileiros realiza mais consultas do que os bebês de até quatro anos e possui, na faixa dos 60 aos 69 anos, o dobro do número de internações do que aqueles com idade entre 40 e 49 anos.

“Enxergamos uma grande oportunidade, mas que poderá se tornar um risco, porque o problema não está em envelhecer, mas em não haver equilíbrio entre o valor cobrado e as despesas da área (…) Estamos falando de um mercado muito significativo e, não por outro motivo, as grandes corporações globais do setor estão de olho no Brasil”, avalia o superintendente executivo do Instituto, Luiz Augusto Carneiro.