Congressos da Abramge debatem a Tecnologia da Informação em Saúde

Revista Fator - 16/08/2012

Por que a Tecnologia de Informação continua sendo uma caixa preta para a maioria dos executivos de saúde como acreditam alguns especialistas? Este é um dos assuntos dos 17º Congresso Abramge e 8º Congresso Sinog que têm como tema central Planejamento Estratégico na Saúde Suplementar. Os eventos serão realizados no Hotel Maksoud Plaza, em São Paulo, nos dias 23 e 24 de agosto.

Para Luiz Antonio De Biase Nogueira, diretor executivo da Tempro Software, que participa do talk show Tecnologia no Planejamento Estratégico, os técnicos tendem a dar mais peso às tendências, doutrinas e detalhes tecnológicos do que às características e reais necessidades do negócio. “Isso pode inflar os investimentos e o custo com tecnologia da informação”, explica.

Já Neil Patrick Mascarenhas, diretor financeiro do Grupo Carlos Chagas, vai falar sobre as principais dinâmicas do mercado e práticas competitivas das Operadoras de Planos de Saúde e seus prestadores de serviços. O tema de sua palestra é Aspectos Comerciais/Mercadológicos do Planejamento Estratégico. “Vale a pena pensar em modelos de assistência do tipo ganha-ganha onde o resultado assistencial seja tão ou mais eficiente para a saúde do beneficiário e que, ao mesmo tempo, possa levar a uma redução de custos”, afirma.

Além desses palestrantes, também participarão Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República, que fará a Conferência Magna. E mais: Alexandre Padilha, Ministro da Saúde, falará no encerramento do evento, sobre a Visão do Governo sobre o Cenário da Saúde no Brasil; e Mailson da Nóbrega, ex-ministro da Fazenda, fará palestra sobre Planejamento Estratégico – Cenário Econômico/Financeiro.

“O objetivo dos Congressos é criar um ambiente em que empresários e executivos da Saúde Suplementar possam compartilhar seus conhecimentos e expertises”, afirma Arlindo de Almeida, presidente da Abramge. “Nosso setor está crescendo e precisa debater a atual regulamentação e seus desafios”, diz Geraldo Lima, presidente do Sinog.