ANS disponibiliza Monitoramento Assistencial de março a operadoras

FENASEG - 01/04/2012

As operadoras já podem conferir o resultado do prontuário do Monitoramento Assistencial de março, realizado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Esta metodologia avalia trimestralmente as operadoras, a partir de um conjunto de 21 indicadores, com destaque para a negativa de cobertura (NIPs), que tem um peso significativo na composição da nota final da operadora.

As operadoras são classificadas em quatro faixas de risco que variam de acordo com a nota final obtida. As empresas com status verde são as operadoras que oferecem baixo risco assistencial e representaram 72,44% da avaliação de março; 9,22% apresentam risco assistencial pré-moderado (status amarelo); 9,68% encontram-se na faixa de risco moderado e 8,66% encontram-se na faixa de risco alto.
 
Segundo nota da ANS, as operadoras com risco pré-moderado são acompanhadas pela ANS. Já as operadoras com risco moderado que se enquadrarem nos critérios estabelecidos serão selecionadas para visita técnica assistencial e as demais são objeto de monitoramento remoto. As operadoras classificadas com risco alto (status vermelho) são analisadas quanto ao seu enquadramento nos critérios de plano de recuperação ou direção técnica.[3]
 
No segmento exclusivamente odontológico, 82,25% das operadoras ativas apresentam baixo risco assistencial (status verde); 1,17% apresentam risco assistencial pré-moderado (status amarelo); 4,44% encontram-se na faixa de risco moderado e 12,15% encontram-se na faixa de risco alto. As condutas adotadas são as mesmas do segmento medico- hospitalar.