Grupo Santa Celina reduz custos das operadoras em 23,15%

Cínthya Dávila - 17/04/2012

Com os índices de sinistralidade ultrapassando a margem dos 80%, de acordo com dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), as instituições de saúde precisam desenvolver maneiras de lidar e reverter essa realidade para manter a sustentabilidade do sistema. É o que vem fazendo o Grupo Hospitalar Santa Celina, que atua desenvolvendo serviços de Home Care nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. A entidade, por meio do projeto Closer, conseguiu obter uma queda de 26% nas internações hospitalares e redução de 39% nos chamados de urgência. E uma economia de 23,15% para as operadoras.

A iniciativa contou com um investimento de R$ 12 mil. Até o momento, ele conta com a participação de 200 pacientes e o Grupo Hospitalar Santa Celina está em processo de negociação para que seja ampliado para toda a carteira de clientes da instituição.

Segundo a gerente de pós venda do Grupo Hospitalar Santa Celina, Claudia Maricate, o Closer tem o objetivo de ser uma nova forma de olhar a assistência domiciliar. Ela conta que a equipe do Santa Celina realizou um mapeamento para ver quais eram os pacientes que mais reinternavam, baseando-se no grau de complexidade e riscos destes indivíduos.

“A metodologia consiste em fazer uma avaliação cognitiva e um teste de capacidade funcional com os pacientes. Essas duas avaliações indicam quais são as pessoas que tem maior possibilidade de reinternação e mortalidade”.

Claudia conta que o Projeto traz atenção domiciliar aos pacientes monitorados. “Se o paciente entrava no projeto para a realização do trabalho de fisioterapia, nós disponibilizamos um enfermeiro visitador para ele”.

Além de receber visitas de profissionais em casa, os pacientes também contam com um coaching center, responsável por realizar um acompanhamento quinzenal, com orientação sobre o tratamento realizado. A central de urgência se encarrega de fornecer a orientação ao paciente, caso o coaching Center estivesse indisponível.

Com 98% de aprovação entre os pacientes, segundo Claudia, o projeto Closer possibilitou que o tempo de internação diminuísse 50%, trazendo economia para as operadoras.